vida

Vê! Não é a vida uma grande maçada?
Ela é um fio que se entrelaça
Ensimesmada

Se desenrola, nos sorrimos orgulhosos
Para darmos novos nós com a linha usada
Se permanece, nos viramos pelo avesso
Corpo embrenhando por caminhos tortuosos
São só tropeços, que acreditamos caminhada

É que, no fundo, o percorrer é o tropeço
Uma travanca de mil faces transmutada
E nós aqui, na mesma busca pela estrada
Sem perceber que o que virá já foi começo

Ah, mas esta vida é mesmo enfadonha!
A mesma imagem na retina fatigada
Em outras formas se disfarça, se enquadra
Para mostrar-se a mesma forma quando sonha

Desta maneira (igualmente variada)
Eu a aceito e aceito sua trama
Que ainda hoje essa minha alma calejada
Notou-se estranha
E curiosa se espantou:

Como se hoje, já conhecido aquela chama
Queimasse alto, tal já não tivesse ousado
E hoje fosse, do mesmo jeito atrapalhado
A primeira vez que esse meu peito se encantou

Marina Tavares

Anúncios