Ponteiro

Perdi a hora
a Hora da Estrela, A Estrela da Manhã
A manhã sendo tecida pelos galos de João
[Que amava Tereza e foi para o estrangeiro]
Perdi o trem com o menino
correndo Dentro da noite veloz
Perdi o tempo
[Que era quando
para quem houvesse espaço]

Perdi a hora e a estrela cadente
Já havia caído na mão de Leminski
O homem já havia saído da Tabacaria
E atravessado A Rua de Torquato
Perdi Cacaso e Alfredo da Rocha
Agenor de Oliveira, quantos perdi!

Perdi a hora
Tardiamente minha carne foi parida
E hoje me resta o papiro
E hoje me restam palavras
Me resta construir
com duas mãos
[mis alas que bastan
para tu libertad]

Marina Tavares

Anúncios